O programa Curumim surgiu a partir de discussões dentro do núcleo de arte-educação do coletivo Instrumento de Ver sobre a educação extracurricular no contexto escolar. Essas discussões nos motivaram a um estudo de mercado. Nos deparamos, então, com programas de atividades com pouca ou nenhuma continuidade, com quase nenhum foco na aquisição de competências, com alta rotatividade de professores e, muitas vezes, professores não qualificados.

A partir de um posicionamento frente à desvalorização do método, do conteúdo e dos profissionais, o coletivo Instrumento de Ver reuniu sua experiência de quatorze anos transitando pelos universos da educação, da atividade física e da arte para criar um programa diferenciado.

Curumim é um programa que oferece uma diversidade de experiências a crianças de todas as idades, que os confronte a adquirir novas competências e desenvolver esses conhecimentos a partir de projetos periódicos. Os projetos permitem que os alunos não só entrem em contato com técnicas, como também os mobiliza à ação concreta e investigativa que são necessárias na realização de um projeto. Além do planejamento, também é estimulado o trabalho em equipe, que contribuem de forma efetiva na vida escolar e no processo de socialização dos alunos.

Com foco no desenvolvimento da autonomia e da criatividade, na diversificação dos meios de expressão, na apropriação de saberes, competências e valores, Curumim atende à exigência por uma educação atual, com visão global da criança e do contexto escolar e social.

CONCEITO

Curumim é uma palavra de origem indígena, da língua tupi-guarani, que significa criança. Batizamos de Curumim o programa de atividades extracurriculares que tem como diferencial uma visão global da criança em sua individualidade e nos contextos escolar e social nos quais está inserida. Antenado nas discussões mais recentes em educação e em novas formas de propor o aprendizado, Curumim aproxima o aluno do conteúdo de forma lúdica e cativante ao olhar infantil.

Com um enfoque na valorização dos profissionais, na abordagem do conteúdo e na proposta pedagógica, o programa Curumim tem como ideal garantir a continuidade, a progressividade e a coerência no percurso da educação física e artística no contexto escolar. A partir da promoção de experiências diferenciadas, tem como objetivo contribuir para uma educação múltipla e integradora.

 

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA

Julia Henning é psicóloga formada pela Universidade de Brasília desde 2006 e é também artista circense desde 2002, atuante no coletivo Instrumento de Ver. Gestora cultural com pós-graduação pelo SENAC. Coordenou o projeto social Rua do Circo entre 2003 e 2005, projeto de arte-educação voltado para crianças e jovens. Tem experiência como arte-educadora, em diversos cursos e oficinas de curta e longa duração para crianças de todas as idades.

Maíra Moraes é formanda do curso de Licenciatura em Dança do Instituto Federal de Brasília. Gestora cultural e artista do coletivo Instrumento de Ver, desde 2005. Atua como arte-educadora de crianças e jovens. Tem experiência no ambiente escolar, tendo atuado nas escolas CECAP, Monteiro Lobato e Lycée Français François Miterrand.

Gabriela Onanga é pedagoga formada pelo IESB desde 2010 e é também formada em teoria musical pela Escola de Música de Brasília. Atua desde 2008 na educação infantil, integrando suas áreas de formação voltando-as para a arte-educação. Instituto Natural de Desenvolvimento Infantil, Afinity Arts e, atualmente, Lycée Français François Miterrand.

Ana Flávia Garcia é arte-educadora, formada em Licenciatura em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília. É atriz há mais de 20 anos, palhaça há 15 anos, diretora a 10 anos, e vem interagindo com diversos representantes da cena teatral e circense de Brasília. Idealizou e realizou a oficina de teatro Tangolomango e a Casa das Anas, um núcleo de criação de produtos, ações e estratégias artísticas e em  arte educação que utiliza o compartilhamento de tecnologias e saberes das artes cênicas como metodologia.

Daniel Lacourt é tem formação de nível superior na ESAC (École Superieur des Arts du Cirque). É arte-educador há 15 anos, tendo se aprofundado no universo infantil nos últimos 5 anos. Já atuou na academia Olimpic, UBT Escalada e Cresça. Tem domínio de temas como segurança no circo e montagem e construção de aparelhos circenses.